Em Açoite, Destaques

Alguns comentários imaginários e imaginativos sobre Aécio, de políticos aliados:

 Paulo Maluf: “Bateu na mulher em público? Isto não se faz, ainda se fosse em privado!”.

 Fernando Henrique: “Nos quatro anos como governador apresentou menos projetos que Tiririca? É verdade, mas em compensação também não votou em nenhum outro”.

 Álvaro Dias (senador pitbull): “Gastou 63% da verba do Senado para ir ao Rio e 27% para ir a Belo Horizonte, sua cidade de domicílio. Pois fez muito bem, pois é no Rio que está a gandaia. O que que ele iria fazer em Belo Horizonte, trabalhar?”.

 Marina Silva: “É um colosso, basta dizer que essa honestidade toda vem do berço. É de família tradicional. Bom, é verdade que tem algumas mazelas. Seu primo Tolentino, braço direito de Marcos Valério e Tancredo Tolentino, preso por vender sentenças judiciais são acidentes de percurso”.

 Roberto Marinho (através de um médium): “Acusam o angelical Aécio de, quando governador de Minas, ter pago uma dívida da Globo de US$ 269 milhões, com dinheiro público. Ora, é uma questão de equidade. Dar dinheiro só para pobre é injusto. A elite também merece. Além do mais fizemos o que ele mandou, despedimos o diretor local que o acusou de usar drogas. Dá cá, toma lá. Uma mão lava a outra”.

 Levy Fidelix: “Apoio o Aécio porque ele põe a família em primeiro lugar. Como governador mandou construir um aeroporto nas terras de seu tio, vizinho de sua própria fazenda. Amor à família antes de tudo. Desapropriou terras do tio avô que foram avaliadas em R$ 1 milhão por R$ 20 milhões. Isso é que é botar a família em primeiro lugar”.

 Armínio Fraga: “Dizem por aí que ele fez economia, reduzindo o número de secretárias, mas que, por outro lado, contratou 98 mil funcionários públicos sem concurso. É, mas em compensação pagou o menor salário para professores, menos que o piso salarial oficial, e reduziu o salário dos médicos. Ora, a educação! Uma banana para a saúde. O que importa são os votos e noventa e oito mil favores trazem um bocado de votos”.

 Eduardo Azeredo: “Dizem as más línguas que Aécio foi processado por desviar da Saúde R$ 4,3 bilhões. Ora a Saúde, o importante é o Caixa 2”.


 

 

Facebooktwittergoogle_plus