Em Destaques, Vida Nacional

Agência JB

O International Business Times (IBT) publicou um artigo (18/11) em que faz uma previsão positiva para o Brasil: o país vai ultrapassar os Estados Unidos como o líder mundial no mercado para bioenergia, segundo a empresa de pesquisa GlobalData. “Os EUA mantêm a liderança por enquanto, mas espera-se que o Brasil aumente sua capacidade instalada de bioenergia em todo o país de 11.51 gigawatts (GW) em 2013 para  uma marca estimada em 17,1 GW por volta de 2018, tornando-se assim o maior mercado do mundo”, diz a matéria de Dion Rabouin.

O jornalista continua: “a bioenergia, também conhecida como energia de biomassa, é o uso de qualquer material orgânico para gerar eletricidade. Os Estados Unidos foram, durante muito tempo, os líderes mundiais. Mas o relatório sugere uma infraestrutura obsoleta e uma excessiva capacidade que saturou o mercado farão com que os americanos sejam ultrapassados em quatro anos.

“Uma grande parte da capacidade de bioenergia dos Estados Unidos foi instalada nos anos 1980 e 1990, o que significa que o país já tinha 12,82 GW por volta de 2006 enquanto o Brasil tinha apenas 3,59 GW nessa época,” disse Harshavardhan Reddy Nagatham, analista de energia alternativa da GlobalDatanalyst.

O governo brasileiro também vai ajudar a empurrar o país sul-americano à frente dos EUA. “O nascente mercado brasileiro está sendo conduzido pelo governo,” diz Nagatham, “que determinou a necessidade para os fornecedores de serviços públicos locais de obter pelo menos 2 GW de capacidade de biomassa instalada através de leilões anuais, ao longo de 10 anos desde 2007.”

Nagatham afirmou que apesar de existir a possibilidade de interrupções no suprimento de materia-prima devido ao crescente desmatamento em certas partes do Brasil, espera-se que o aumento da plantação de cana de açúcar e a produção devem compensar.

A bioenergia fornece 10,2% do consumo mundial de energia primária, segundo o Centro de Soluções para Energia e Clima. De acordo com sua pesquisa mais recente em 2011, a bioenergia forneceu 5,7% do total da energia renovável dos EUA, o que é maior do que a contribuição da energia solar mas é ainda menos do que energia eólica ou hidrelétrica.

“Países emergentes estão adicionando projetos de energia renovável em quase o dobro dos países desenvolvidos”. Uma pesquisa com 55 países, incluindo China, Brasil e África do Sul, descobriu que projetos com energias renováveis combinadas cresceram em 143% de 2008 a 2013, a um total de 142 mil megawatts. Países mais prósperos, em comparação, viram as energias renováveis pularem de 84% a 213 mil megawatts.

GlobalData acrescentou que estima que o Brasil aumentará sua capacidade instalada para 25,22 GW por volta de 2025”, conclui o artigo.

Publicado no Jornal do Brasil: http://bit.ly/1trpdyC

Agência Jornal do Brasil.


Créditos de imagem: belicosa.com.br

Facebooktwittergoogle_plus