Em Destaques, Música

Muitas são as estações de rádio e também os sites e blogs que veiculam programas musicais de elevado valor informativo e artístico sobre os mais variados gêneros e estilos do rico repertório brasileiro e internacional.  Como forma de valorizar e promover esse valioso acervo cultural, estamos proporcionando aos nossos leitores e colaboradores para o seu entretenimento, deleite espiritual e catarse emocional uma audição radiofônica cuidadosamente selecionada.

Sem título

 

A Rádio USP de São Paulo foi criada em 11 de outubro de 1977, preenchendo o espaço vazio de emissoras educativas em FM na Grande São Paulo e, ao mesmo tempo, proporcionando um canal de comunicação entre a Universidade de São Paulo e a Sociedade.

Ao longo de quase quatro décadas, a emissora recebeu diversos prêmios por sua linha de trabalho diferenciada. Em 2000,a Rádio USP recebeu o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte  (APCA) como melhor programação musical. Destacam-se da mesma maneira as premiações pela melhor programação de cultura geral, melhor programa de variedades, conferidos também pela APCA, o Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro e o Terceiro Concurso Internacional de Programas de Rádio promovido pela Rádio Cubana (vencido pelo Clip Atualidades).

Para este documento selecionamos o programa Olhar Brasileiro levado ao ar pela Rádio USP aos domingos. O programa tem a proposta de resgatar a produção de compositores e cantores que tornaram a música popular brasileira conhecida e admirada em todo o mundo. O fato de ser professor leva Omar Jubran a conceber o programa retratando o contexto social e político em que os personagens estão inseridos. Assim os ouvintes podem ter uma ideia de como se davam as relações nos diversos momentos da história do país      e, dessa maneira, compreender a atmosfera em que se deu o processo criativo musical.

Sobre o produtor e apresentador Omar Jubran. É professor e pesquisador musical, concebeu, organizou e remasterizou a Discografia Original de dois importantes nomes de nossa Música Popular: a de Noel Rosa (Noel Pela Primeira Vez), em 2000 e a de Ary Barroso (Ary Barroso – Brasil Brasileiro), em 2013. Além de produzir e apresentar, semanalmente, o Programa Olhar Brasileiro, também é autor de alguns Programas especiais veiculados pela Rede USP de Rádio (inclui o campus universitário da USP de Ribeirão Preto/SP).

Para esta 16ª. Edição de Rádio: programas que ouvimos… estaremos na companhia de compositores e intérpretes que em algum momento do seu processo criativo dedicaram-se a um tema sempre muito presente no nosso cancioneiro: cabelos…

 

MAS, OS MEUS CABELOS, QUANTA DIFERENÇA…

“Fio por Fio, Nota por Nota…”

Significado Para “cabelo”: o conjunto de pelos que cobrem a cabeça dos humanos ou… cada um desses pelos. Uma pessoa adulta que não tenha problemas de calvície tem cerca de três milhões de fios de cabelo que crescem cerca de um centímetro por mês. Há um sem número de curiosidades sobre os cabelos. E, na Música Popular Brasileira, há canções que falam desses pelos ou fios.

Separamos para este Programa, as seguintes canções: Cabelo (de Jorge BenJor e Arnaldo Antunes) / Nega do cabelo duro (de Rubens Soares e David Nasser) / O teu cabelo não nega (de Lamartine Babo e Irmãos Valença) / Cabelos negros (de Eduardo Dussek e Luís Antônio de Cássio) / Debaixo dos caracóis dos seus cabelos (de Roberto Carlos e Erasmo Carlos) / Um girassol da cor de seu cabelo (de Lô e Márcio Borges) / Três canções com o título Cabelos brancos (A de Herivelto Martins com Marino Pinto; a de Jair do Cavaquinho, Jandyr e Ari Araújo e a de Baden Powell em parceria com Paulo Cesar Pinheiro) / Cabelos cor de prata (de Sílvio Caldas e Rogaciano Leite) / Respeitem os meus cabelos, brancos (de Chico César) / Duas composições com o título Cabelo pixaim (a de Francis Hime em parceria com Cacaso e a de Jorge Aragão e Jotabê) e O nego do cabelo bom (de Max de Castro e Seu Jorge)

 Esta rubrica rende homenagem ao prof. Edgar Roquette-Pinto, pioneiro do Rádio no nosso país e considerado o Pai da Radiodifusão no Brasil

Facebooktwittergoogle_plus