Em Açoite, Destaques

quixotinho Amarelíssimo

O colunista Vinicius Torres Freitas, uma espécie de bezerro de ouro da Folha ataca a Presidente Dilma Rousseff por ter usado  a expressão “guerra psicológica” que atribui ele ao patrimônio intelectual da ditadura militar, o que seria de mau gosto. Será que não percebeu a ironia? Será que não percebeu o que insinuava a Presidente com esta “retribuição”? Que os que a combatem hoje, são, em essência, os mesmos que cunharam a expressão “guerra psicológica”? E não seria de mau gosto realmente tentar associar quem arriscou a própria vida, foi torturada e emprisionada pelo governo militar que ela corajosamente combateu? Nem tudo que brilha é ouro.

quixotinhoAritmética e Senso Comum

A manchete “O Brasil tem menos saldo comercial em 13 anos” da Folha de 03/01/2014 é surpreendentemente benevolente com o governo, pois, de fato, este valor, US$ 2,6 bilhões, é ínfimo (0,08% do PIB brasileiro), mas ainda é positivo, o que poucos países do ocidente conseguiram, inclusive os EUA. Entretanto, o articulista fere a matemática e o senso comum ao afirmar que “o superávit seria ainda menor se o cálculo oficial não tivesse incluído a exportação de plataformas de petróleo de US$7,7 bilhões” e passa a argumentar que se estas plataformas não saíram do Brasil, tendo sido alugadas por empresas brasileiras, não foram exportadas. Pergunto: e se fossem levadas até as 200 milhas que delimitam o território nacional no mar e depois retornassem teriam sido exportadas? Ora, o que determina se um produto foi exportado é se seu pagamento foi feito no exterior com divisas externas.

 quixotinhoVovô está chutando o caixão

Arraes não tolerava os “sabujos” do PSDB. E agora o Netinho trai o venerando vovô. E Mamá o que vai pensar? Conseguiu evitar a PSDBsação do PSB em São Paulo. E aceita essa mesma “conversão” em Pernambuco? E para onde vai a “ideologia”? A menos que Mamá não goste de Quiqui (ou Mimím) por razões de ordem sentimental. Não sei. O que sei é que se o ressuscitarmos, o Coronel Arraes vai puxar as orelhas do neto Dudú.

 quixotinhoJânio Ressuscitado

Jânio de Freitas bem entendido, o outro mumificado continua sob sete pés, graças a Deus, ou melhor, graças à pinga. Jânio, o verdadeiro Jânio, nos lembra que afinal o que é relevante para o povo é o emprego, o salário mínimo, a fuga à pobreza. A importância do PIB para o povo é indireta, embora seja fundamental para a elite brasileira. Viva. A velha Folha renasce. Há esperanças para o Brasil. Os insignificantes “pitbulls da Folha” já nasceram cadáveres.

quixotinhoE o Partidão (PPS) para onde vai?

Nasceu de Lenin. Teve seus momentos de stalinismo. E teve momentos históricos durante a ditadura militar. Com a criação do PT de Lula e do PSB de Arraes e radicalização do PC do B, ficou o Partidão sem espaço na esquerda, o que o fez bandear para a direita tornando-se linha auxiliar do PSDB de Fernando Henrique, mudando de nome para DEM, opa! Desculpem o engano, quero dizer PPS. E agora, inopinadamente, procura aliar-se ao PSB da dupla fantástica Mamá e Dudu, de onde certamente será defenestrado, cedo ou tarde. Só resta ao seu Presidente, Roberto Freire, uma saída para manter a corporação viva, registrar o Partidão como Igreja Pentecostal. E que tenha boa sorte.

Facebooktwittergoogle_plus
Rogério Cerqueira Leite
Físico, professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Comentar