Em Açoite

quixotinho   Papa João XXIII fez um único milagre em toda sua vida e João Paulo II, dois. E estão sendo beatificados. Ora, que injustiça, os bispos Waldomiro Cowboy e Macedo Playboy, em um único dia, realizam dezenas, senão centenas e não foram sequer promovidos a Papa. Afinal é ou não é uma Igreja Ecuménica?

quixotinho   Manchete da primeira página da Folha de sábado 9 de novembro diz: “Brasil terá ao menos 200 mil famílias sem luz após 2014”. Como seria esta manchete se fosse o Governo Fernando Henrique? “20 milhões de brasileiros beneficiados pelo bem sucedido programa “Luz para todos”. E se fosse o governo de José Serra? “Retumbante sucesso do “Luz para todos” com mais de 20 milhões de brasileiros salvos da escuridão”. Com o subtítulo: “Apenas 7% dos necessitados não foram alcançados devido a dificuldades intransponíveis da geologia e da geografia”.

quixotinho   A esquerda reclama que a Folha, em um único golpe reforçou a extrema direita de sua equipe de articulistas contratando três estridentes “skin-heads”. Ora que besteira. Não percebem que para compensar um Prata ou Safatle, é preciso pelo menos uns quinze Pondé, ou 30 Magnoli, ou 50… (qual é mesmo?).

quixotinho   Há uma acirrada competição entre psicanalistas e psicólogos comportamentais. Estes últimos preferidos pelos médicos. Para entender a diferença vamos entrevistar aqueles que realmente vivenciaram a situação.

Comportamental – “Eu pensava que era Napoleão, hoje, depois que fui curado, eu sei que sou Napoleão, mas finjo que sou Madre Teresa de Calcutá. Faço amor, não faço Guerra”.

Psicanalisado – “Eu pensava que era Napoleão, hoje sei que não sou Napoleão, pois descobri com a análise que sou filho da Virgem Maria e já aprendi a fazer milagres”. Como se vê, a terapia comportamental “domestica” o paciente e a psicanálise cura, para o Bem ou para o Mal. Eu, de minha parte, prefiro ficar com minhas deliciosas neuroses.

quixotinho   Arafat foi envenenado por meio de Polônio 210, um isótopo de meia vida muito curta, 50 horas. Ele tem, portanto, que ser confeccionado em um reator ou seu núcleo bombardeado por outro elemento radiativo e usado imediatamente. Foi, portanto, administrado por alguém com convívio quotidiano com Arafat e com acesso a seus alimentos. Por outro lado, Polônio só pode ter sido produzido em um sofisticado laboratório nuclear. E o curto tempo de vida do isótopo utilizado pressupõe uma distância razoavelmente pequena e acesso rápido a Palestina. Condições políticas indicam também que Israel é praticamente o único suspeito. Todavia, não teria o assassinato sido possível sem a participação de alguém muito próximo de Arafat. E ainda dizem que colaboração entre Israelitas e Palestinos não é possível.

Créditos de imagem: autoentusiastas.blogspot.com.br/

Facebooktwittergoogle_plus