Em Açoite, Destaques

Demétrio Magnoli, eficiente e oficioso porta voz da direita recalcitrante no Brasil, indicou o golpe na ponta do fígado (FSP Pág. A10, 22/11/2014). Em uma duvidosa análise da corrupção no Brasil, acusa a esquerda de usar o passado para justificar o presente. De fato, dizer que houve muito mais corrupção no governo do PSDB, ou mesmo antes, não justifica a corrupção presente. Todavia, esquece os números apresentados por Semler na Folha (Pág. 3, 21/11/2014) que mostram que, de acordo com dados de agências internacionais, a corrupção no passado foi pelo menos 400% maior que a atual. O PT seria, pois, responsável por uma redução da corrupção de pelo menos 80%, se nos ativéssemos aos argumentos simplórios do Senhor Demétrio Magnoli. Em realidade, a corrupção depende menos dos seus atores individuais diretos, corrupto e corruptor, do que da cultura, ou melhor, do meio social em que ocorre. E isso é alentador, pois os dados sobre a redução da corrupção indicam claramente que a sociedade e suas lideranças estão evoluindo positivamente. O PT tem atuado apenas como um catalizador, isto é como uma substância que acelera uma reação desejada. E isto chega.

O porta-voz da direita rancorosa, Demétrio Magnoli, ataca a vida pessoal e profissional do empresário que ousou mencionar a redução da corrupção no Brasil. E assume a estratégia dos desqualificados da direita, ou seja, não encontrando argumentos contra a propositura do adversário, recorre à desqualificação do autor.


Créditos de imagem: illuminatielitemaldita.blogspot.com

Facebooktwittergoogle_plus