Em Açoite, Destaques

Ué, aonde estão os tão falados quadros do PSDB? Pois não é que, em desespero, os altos escalões do partido brasileiro da direita estão pensando em escalar o play-boy Doria para a candidatura à presidência em 2018? Será que esses famosos quadros estão todos na Lava-Jato?

 

Imagem: brasil247

Facebooktwittergoogle_plus
Rogério Cerqueira Leite
Físico, professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Showing 10 comments
  • Anna Tereza
    Responder

    Prof. Rogério, dá pena perceber o quanto o brasileiro se deixa enganar. É tudo muito óbvio; nem precisa ser grande estudioso do cenário nacional, do comportamento nada republicano dos meios de comunicação ou mesmo do papel do Judiciário. Todos estão nus, só não vê quem não quer.

  • Daniel
    Responder

    É um Collor piorado.

  • cesar
    Responder

    Povo guiado pelo senso comum… Ou melhor, teleguiado… Está explícito!

  • lino
    Responder

    Prof. “Aonde” quer dizer “a onde” e define o movimento,a ação do verbo “a” um lugar . Portanto,a sua frase escrita corretamente é ” Onde estão os quadros etc…”

    • wilson hugo
      Responder

      Lino, você está mais preocupado com língua portuguesa do que com o país? ou foi ironia?… imagina se um pesquisador descobrisse a cura do cancer, você só iria considerar se tivesse tudo na ABNT ??

      • hg
        Responder

        Wilson Hugo você agindo certo pode não consertar o mundo, mas será sempre um canalha a menos.

  • Daniel
    Responder

    Na atual conjuntura política brasileira esse senho está dando belíssimas lições!

  • José Luciano de Brito Gonçalves.
    Responder

    Estão todos presos, juntos com os do PT, e lá vão fazer uma prestação de contas pra ver quem roubou mais.

  • José Luciano de Brito Gonçalves.
    Responder

    Quem deve moderar são os ladrões da Patria,não minha indignação.

  • José Freitas
    Responder

    O Brasil é mesmo um país estranho. Professores de física que, mesmo sendo “doutores” pouco ou nada se conhece sobre suas obras ou contribuições à ciência em suas áreas específicas, se arrogam profundos conhecedores de economia e politica, juntando-se às centenas de jornalistas “especializados” que ganham a vida escrevendo bobagenns.

Comentar