Em Destaques, Polêmica na Blogosfera, Vida Nacional
  • Embora não concorde com o pensamento econômico representado por Aécio Neves, o presidente do PSB Roberto Amaral curvou-se à maioria e anunciou a adesão do partido. Discretamente, sem rompantes. Já a maneira com que o candidato do PV Eduardo Jorge ribombou a adesão a Aécio, com uma retórica inflamada, apaixonada, de amor à primeira vista, berrando  aos quatro ventos que o PV não exigia nada, a não ser o desenvolvimento sustentável, lembra em muito mocinhas afogueadas que não conseguem esconder a ansiedade quando veem  um bom partido pela frente. Perdeu-se pelo excesso de paixão sincera. (LN)
  • Seja no Brasil, na Alemanha ou na França, os PVs sempre se bandeiam pro lado da direita, apesar de sua pauta conservacionista ter muito mais a ver com a esquerda. O Dudu só tá seguindo a diretriz internacional, lembrando que as principais ONG’s verdistas são financiadas pela Fundação George Soros, o que diz muito a respeito da autenticidade das suas reinvindicações. Porque será que o Greenpeace e o WWF nunca protestam quando o problema ecológico é provocado pelas grandes companhias petrolíferas, como foi o acidente do golfo do México? (RP)
  • Eu acho mais triste e  lamentável ver o PSB correr para os braços de Aécio, que o PV de Eduardo Jorge. O PV nunca passou de uma legenda de aluguel. O PSB tem um passado respeitável. (AAV)
  • Ambos encerram suas carreiras. Lamento pelo Roberto Amaral que teve seu partido sequestrado pelos piores oportunistas “neo-socialistas”. Lá se vai o último da geração do Arraes. Triste fim de um percurso honrado ( até onde eu saiba ). Erundina joga fora a fantasia: Cheia de falsos pudores, abandonou a candidatura a vice na chapa do Haddad por ele ter ido ao beija-mão do Maluf mas agora se declara “neutra” num momento muito mais decisivo para a nossa História. A ela, o meu mais profundo desprezo. Já o Eduardo Jorge a quem suspendi o meu voto de desconfiança por esperar que ele pudesse trazer o PV para um campo mais responsável e independente, ou seja, aliviar o papel que o PV tem feito de linha auxiliar do PSDB, pelas suas falas na campanha, se mostrou a altura (!)  do partido com sua adesão mais que oportunista. Fez um discurso charmoso na campanha  e um ridículo ato de subordinação no segundo ato. Sentou em cima como se dizia. Eu cheguei até a ter certo respeito por ele por um “caminho torto”: Ouvi de pessoas que considero que ele tinha feito um bom trabalho na Prefeitura de São Paulo como Secretário do Verde e Meio Ambiente sob o “governo” Kassab/Serra, como se verde se plantasse em meio ao estrume. Entendi que ele poderia ser alguém que se dispunha a fazer algo de bom mesmo numa estrutura podre. Ledo engano. É um legítimo verde daqueles que passam direto à putrefação sem ter ao menos amadurecido. Um legítimo PV da linha Penna. Todos agindo de forma irresponsável para com o país. Nenhuma grandeza . Melhor teria sido se tivessem apoiado Dilma agora e declarado desde já que fariam oposição ao seu governo. Pena! ( sem trocadilho ). (yrucotaner)

Publicado no jornal online GGN: http://bit.ly/1uFHYCY


Créditos de imagem: jornalggn.com.br

Facebooktwittergoogle_plus