Em Análises e Reflexões, Destaques

Às vezes é melhor nenhuma ciência do que pouca Ciência. Estavam discutindo alguns alunos e um professor do ITA. Este afirmava que o que mantinha a bicicleta em pé, quando em movimento, era o efeito giroscópico. Se você fizer girar uma roda, por exemplo, de bicicleta, segurando seu eixo e tentasse mudar de direção esse eixo, veria que uma força contrária surgiria no sentido contrário ao que você estava fazendo. Eu, quando garoto, durante alguns anos “morava” em cima de uma bicicleta, quando não estava na sela de um cavalo e tinha, intuitivamente por certo, uma outra impressão. Acho que quem mantem a bicicleta em pé é o “piloto”, dizia eu. Propus uma experiência. Ele, o professor,  empurrava uma bicicleta na posição vertical com toda a força, enquanto eu deixava uma outra, parada também na vertical, cair sozinha. Se caíssem as duas no mesmo tempo, era porque o efeito giroscópico não existia. Já era mais que meia-noite e os alunos donos das bicicletas já estavam dormindo. Repetimos a experiência várias vezes e desapontado fui obrigado a reconhecer que os dados eram inconclusivos, antes que acabassem as bicicletas.

Fiquei encafifado. Aos poucos entendi por que uma bicicleta fica em pé. Bicicleta e piloto formam um sistema com o centro de gravidade em algum lugar no corpo do piloto. A força de atração que a Terra exerce sobre o piloto vai do seu centro de gravidade até o centro da Terra. O ciclista e a bicicleta não sucumbem a essa força e vão parar no centro da Terra porque as rodas se apoiam no solo gerando uma força igual, porém oposta, àquela que a gravidade impõe sobre o ciclista e sua bicicleta. Os dois pontos, ou seja, as rodas determinam uma reta, que chamaremos de reta de sustentação, se a força de gravidade cruzar essa reta, bicicleta e ciclista estarão em equilíbrio e não cairão. Se, entretanto, a força de gravidade passar para a esquerda ou direita da reta de sustentação, o sistema bicicleta-ciclista cai para o mesmo lado. (Nunca entendi por que as bicicletas dos alunos do ITA caiam só para a direita. Mas esta é uma outra história).

Então por que uma bicicleta não cai? O fenômeno chama-se “realimentação negativa”. A criança ao aprender a andar de bicicleta introduz um mecanismo inconsciente de correção que inclui movimentos do corpo e da direção que fazem a força da gravidade oscilar continuamente de um lado para outro da reta de sustentação. Assim, quando a bicicleta começa a cair para um lado, inconscientemente, o ciclista move a direção de deslocamento da bicicleta para o mesmo lado, o que faz a reta da força de gravidade passar para o outro. O interessante é que quanto maior a velocidade mais rápida é essa mudança de lado. foi isso talvez o que tenha feito alguns físicos atribuírem ao efeito giroscópio a habilidade do sistema ciclista-bicicleta de permanecer em pé. Na verdade, o efeito giroscópio ao produzir uma força que se opõe à mudança de direção do eixo da roda da frente da bicicleta dificulta a correção de direção que o ciclista tenta fazer.

Como se vê até no ITA professores proferem Besteiróis.

Crédito de imagem: patentpending.blogs.com

Facebooktwittergoogle_plus