Em Análises e Reflexões, Destaques

Tornou-se um lugar comum o seguinte cenário: o mocinho empunhando um quarenta e cinco ou uma espingarda de duplo cano enfrenta o bandidão (ou os bandidões), e depois de um punhado de peripécias, solta-lhe um tiro no peito que o arremessa a vários metros de distância. Na vida real um tiro, a não ser que seja de canhão, não desloca uma pessoa senão alguns centímetros e mesmo assim, preferencialmente, se a bala não atravessar o bandidão.

A aberração dos modernos filmes de bang bang, sejam eles cowboys, gangsteres ou outro qualquer decorre da ignorância de uma lei fundamental da física, a conservação de quantidade de movimento, que os modernos cineastas poderiam ter aprendido nos desenhos animados de Tom e Jerry.

Quando o Gato Tom perseguia o Rato Jerry a altas velocidades, este último fazia uma curva e o Tom ia direto, geralmente colidindo com um objeto contundente. O mesmo princípio devia valer para Jerry, mas como ele era o mocinho…

Vejamos o que acontece no bang bang. Com a explosão a bala é expelida a grande velocidade e adquire uma certa quantidade de movimento. O princípio da física que está envolvido e a conservação desta quantidade de movimento, ou seja, a arma e o corpo humano que segura a arma recebe uma quantidade de movimento igual a da bala, mas no sentido contrário. É o que chamamos “coice”, e todos que já mexemos com arma ou já assistimos filmes de cowboy e de gangsteres sabemos que quanto maior o calibre, ou seja a bala, maior o coice. Arma e atirador têm juntos uma massa muito maior que a bala. É por isso que é possível absorver o coice.

Quando a bala acerta no bandidão, a mesma quantidade de movimento (em realidade menor) será transferida para o alvo. Ora, se este último é arremessado a dezenas de metros de distância, o mesmo deve acontecer com o atirador, só que no sentido contrário. Isto se conseguir segurar a arma. Se não conseguir, a arma viraria um bólido capaz de matar o atirador ou qualquer pessoa que estiver atrás deste.

Cineastas não têm obrigação de conhecer os Princípios da Conservação de Movimento, mas têm sim o dever de não destorcer a realidade e de se ater à observação do quotidiano. Não é possível que não saibam que corpos não são lançados a enormes distâncias quando baleados, mesmo que sejam de bandidões.

Créditos de imagem: escudo-do-mestre.blogspot.com.br

Facebooktwittergoogle_plus